Belvo

Como o Open Banking pode revolucionar o mercado de Previdência Privada?

Onze

Onze

Compartilhar

Como o Open Banking pode revolucionar o mercado de Previdência Privada?

A Onze está criando a primeira solução de previdência privada 100% digital com o suporte das APIs da Belvo. A partir da democratização dos dados com o Open Banking, os clientes poderão ter mais facilidade na hora de realizar a portabilidade do serviço. Confira mais sobre esta tendência e saiba qual a influência dela na Previdência Privada.

Nos últimos anos diversas tecnologias têm sido apropriadas pelo mercado financeiro, incluindo os bancos. 

Um exemplo disso são os aplicativos, que permitem ao usuário fazer transações, pagar contas e até mesmo investir, tudo com um toque no celular e com a maior praticidade e segurança.

E uma das grandes novidades no mercado financeiro é o surgimento do Open Banking, um conceito que se baseia na liberdade financeira e no compartilhamento de informações.

Ou seja, uma democratização dos dados entre os bancos, que permite ao cliente, sem precisar começar do 0, abrir contas, realizar novos investimentos e fazer a portabilidade da previdência empresarial

Confira abaixo como o Open Banking influencia diretamente na previdência privada. 

Leia mais: Criando a primeira solução de portabilidade de previdência 100% digital com a Onze

O que é o Open Banking?

É a ideia de que as pessoas e empresas decidem com quem e quando querem compartilhar os seus dados financeiros. 

O Open Banking preza por uma padronização no compartilhamento de dados em relação à linguagem e à segurança na troca de informações entre todo o sistema financeiro. 

Nele, também há uma portabilidade de dados automatizada, ou seja, os dados do banco X também podem ser acessados do banco Z, tudo isso com a permissão do usuário.

Além disso, a intenção é deixar o sistema financeiro transparente e competitivo, trazendo uma maior autonomia ao cliente e mais opções de produtos e serviços disponíveis. 

É a partir do Open Banking que é possível a utilização de aplicativos que concentrem dados de diferentes contas de banco. Juntando em um só lugar os pagamentos, recebimentos e transferências e facilitando a comunicação ágil entre sistemas de bancos e fintechs.

Facilidades do Open Banking para fintechs

Com a implementação do Open Banking, as fintechs têm agora um espaço oportuno para lançar novos produtos e serviços, se destacando mais que as empresas tradicionais. 

Como o Open Banking parte da ideia do compartilhamento de dados, como os cadastrais (dados pessoais necessário para abrir uma conta), transacionais (como a renda e o faturamento) e históricos (de empréstimos, financiamento e investimentos), tendo o cliente como o dono dos seus próprios dados, o ambiente se torna propício para o lançamentos de produtos e serviços financeiros que tenham como foco a experiência do cliente. 

Segundo estudos do começo de 2021, com a regulamentação do Open Banking haverá uma expansão do mercado das Fintechs. 

Os dados são da empresa Inside Fintech Report (Distrito Dataminer), que realiza estudos mensais após análises da evolução de fintechs no país. 

A pesquisa ainda mostra que o Reino Unido, primeiro país a utilizar o sistema, viu um aumento na criação de fintechs. Além disso, há diversos outros benefícios do Open Banking para as fintechs, confira:

Descentralização

Com o surgimento do Open Banking haverá uma descentralização na oferta de serviços financeiros, abrindo assim um espaço no mercado para as fintechs. 

Segundo pesquisas do Distrito Dataminer, o sistema Open Banking tem 186 startups e 82 captações de empresas, totalizando mais de $ 1,6 bilhões de investimentos. Esses dados também são do início do ano de 2021.

Fidelização

Com produtos mais focados na experiência do usuário, as fintechs poderão ser um atrativo para aqueles que buscam personalização de produtos e serviços. 

De acordo com especialistas, são diversas as possibilidades para mudar a relação do público e do mercado financeiro, um exemplo disso é a concessão de crédito. 

Como o Open Banking pode revolucionar a previdência?

Os benefícios listados acima também poderão ser usados pelas Previtech, fintechs voltadas para a previdência privada e saúde financeira. 

Com essa democratização dos dados do usuário, as Previtechs poderão ofertar de maneira mais fácil produtos para os seus clientes, incluindo a portabilidade da previdência privada

A previdência privada é um investimento de médio e longo prazo, funcionando igual a uma aposentadoria. 

O diferencial desse serviço é que ele não está ligado ao Instituto Nacional do Seguro Social, o INSS. 

Dessa forma, nesse modelo de previdência, o cliente paga mensal ou unicamente com uma quantia, podendo ser a mínima cobrada pela instituição financeira. 

Recentemente, em um webinar da empresa Belvo com a Onze, primeira fintech voltada para a previdência, Rodrigo Neves, COO na Onze fala que “a portabilidade de previdência envolve dados que não são fáceis de encontrar” e antes do preenchimento da portabilidade é “difícil saber quais ofertas existem hoje e quais as melhores opções que você vai ter”.

Então segundo Rodrigo, com o Open Banking haverá uma maior transparência de dados, auxiliando assim o cliente na hora da escolha da sua previdência. 

Além disso, o usuário terá acesso aos seus dados, como o quanto já foi investido, facilitando na hora de preencher a portabilidade. “E permite uma facilidade tremenda para que as pessoas de fato, tenham mais segurança para poder escolher aquele que será o melhor plano para ela”, afirma o COO. 

O sistema Open Banking surge então para uma maior democratização dos dados do usuário, permitindo que o usuário tenha mais facilidade na hora de comprar serviços ou produtos.

Além disso, permite que o cliente possa trocar de banco, sem precisar começar esse processo do zero, realizando assim a portabilidade dos dados. 

As fintechs, empresas de tecnologia voltadas para a área financeira, foram as que mais se beneficiaram desse modelo. Podendo apresentar novos produtos e serviços voltados para a experiência do cliente, se sobressaindo nas concorrentes tradicionais. 

Dessa forma, as Previtechs, fintechs de previdência privada também terão o auxílio do Open Banking, tendo uma maior facilidade para realizar as portabilidades de previdências.  

Post criado em colaboração com a Onze.

Compartilhar

Mal podemos esperar para ouvir suas ideias!