Belvo

Como construir um time de sucesso em um contexto global e remoto

Maria

Maria

Compartilhar

Como construir um time de sucesso em um contexto global e remoto

Cultura interna é um dos pontos mais importantes de qualquer empresa hoje em dia, e aqui na Belvo, nós a consideramos um fator chave para tornar possível nossa missão: construir a base para a próxima geração de serviços financeiros na América Latina através de uma plataforma de API de dados bancários e financeiros. E só poderemos fazer isso com as pessoas certas. Precisamos de um time para compartilhar nossos valores e a quem possamos empoderar com autonomia e responsabilidades individuais.

Mas, como podemos fazer isso? Como fazer com que pessoas tão distintas, de diferentes culturas e contextos, comprem a mesma missão?

Antes de continuarmos, deixe-me compartilhar alguns dados para te dar uma melhor ideia sobre como chegamos até aqui:

  • A Belvo tinha um time de 2 pessoas em Junho de 2019.
  • A equipe cresceu cerca de 400% até o presente momento em 2020. Apenas 0,5% dos que se candidatam são contratados.
  • Nosso time tem 12 nacionalidades diferentes e funciona em um modelo híbrido, com 38% trabalhando em modo 100% remoto e 62% alternam entre trabalhar em casa e nossos escritórios em São Paulo, Cidade do México e Barcelona.
  • Cerca de 22% das nossas contratações vêm de indicação de funcionários.
  • De acordo com os resultados do Q3, 100% do time tem um engajamento bom ou alto.
  • Temos zero rotatividade voluntária.

Nunca teríamos conseguido alcançar estes números sem uma cultura interna sólida e sem um processo deliberado para mantê-la. Então, o que temos feito até agora?

Um processo de contratação alinhado e focado

Para tentar evitar qualquer tipo de viés ou suposição, todas as decisões são tomadas em conjunto desde o início e durante todo o processo seletivo.

Cada etapa conta com alguém diferente da Belvo. Afinal de contas, você está escolhendo com quem você vai trabalhar, mas ele ou ela também escolhem você.

O nosso processo começa com a definição do perfil, um trabalho feito entre um gestor, a equipe de People e um belvoer sênior. Uma vez que o perfil esteja bem definido e que todos os tomadores de decisão estejam alinhados, todos os candidatos seguem um processo padrão: 

  1. A primeira etapa é uma entrevista com um Belvoer e a equipe de People. Aqui o objetivo é verificar se há fit cultural e se o candidato tem as habilidades técnicas necessárias para o trabalho. Algumas vezes encontramos pessoas ótimas, mas que não são quem procuramos naquele momento. Nestes casos, ficamos em contato com esses candidatos para possíveis futuras oportunidades.
  2. Caso o candidato se encaixe, a próxima etapa é uma tarefa técnica a qual a pessoa terá a oportunidade de apresentar para seu futuro gestor e um colega da equipe. Esta etapa nos permite entender com mais profundidade se o candidato está alinhado em termos de pragmatismo e capacidade de execução.
  3. O que se segue é uma reunião de time com um futuro colega para que o candidato possa se situar melhor sobre a Belvo e conhecer mais sobre como trabalhamos. Queremos que todos se sintam confortáveis e alinhados.
  4. Finalmente, é hora de conhecer os fundadores, que conhecem absolutamente todo mundo que fazem parte da Belvo e respondem a qualquer dúvida que o candidato possa ter em relação a missão, visão, valores, desafios enquanto empresa, etc. Por último, fazemos uma checagem das referências do candidato.

É importante ressaltar que o processo é padrão para todos os candidatos, mesmo aqueles que vêm por indicação. Temos que oferecer a todos exatamente a mesma experiência, independente se a pessoa está se candidatando para uma vaga remota, ou se vai ficar em Barcelona, na Cidade do México ou em São Paulo.

Não importa onde você está, o que importa é quem você é e quem você se tornará na Belvo.

Um onboarding que começa antes do 1º dia 

Temos um processo de onboarding que permite que cada candidato se sinta parte do time antes mesmo do primeiro dia de trabalho. Para isso, preparamos uma série de iniciativas:

  • kit de boas-vindas
  • todas as informações relevantes em formato de checklist e uma série de artigos para ler na nossa plataforma oficial de informação (Notion).
  • gravações das duas últimas reuniões all-hands, guias gerais ou por departamento, a agenda de onboarding, as ferramentas usadas na Belvo, o que esperar durante o primeiro dia/semana.
  • informações sobre quem será seu “buddy” – um Belvoer a quem se pode recorrer durante os primeiros dias para resolver dúvidas e pegar dicas.

Como parte deste onboarding padronizado, o novo Belvoer terá acesso a todas as informações de que precisa para começar bem, conhecerá uma parte do time e terá a oportunidade de conhecer todo mundo que trabalha na Belvo em um café virtual all-to-one. O encontro ocorre durante a primeira semana e todos os belvoers são convidados a participar para recepcionar cada pessoa nova que chega na equipe.

Além disso, você também será informado sobre todos os benefícios que se aplicam a todos os Belvoers, como informações sobre suas férias, o programa de bem-estar que todos têm, o dia off de aniversário, a possibilidade de trocar os dias dos feriados, o retiro anual em um local secreto, a ajuda de custo para treinamentos que todos podemos usar anualmente, e, é claro, as stock options. Isso significa que você é tão dono da empresa quanto todo mundo na Belvo, algo importantíssimo para que todos se sintam parte do negócio.

Uma cultura baseada em confiança, respeito e cuidado

Um de nossos principais valores é o foco na comunidade, logo, valorizamos muito nossas relações tanto com nossos clientes e seus usuários finais, quanto com cada Belvoer. Neste sentido, criamos uma cultura baseada em confiança, respeito e cuidado. E buscamos demonstrar que esse cuidado a longo prazo não é sobre palavras, mas sobre ação, através de uma série de iniciativas:

  • Fazemos reuniões all-hands toda as sextas-feiras com a presença de todos os Belvoers a fim de discutir todos os aspectos do negócio: KPIs, vendas, lançamentos de produtos, novas contratações, etc. Ao final, temos 15 minutos livres para perguntas e respostas. 
  • Os fundadores fazem sessões AMA (ask me anything, ou pergunte-me qualquer coisa) todo mês para que todos se sintam confortáveis e entendam o quão acessíveis todos nós somos aqui na Belvo e que não temos tabus. Estamos todos focados em crescer juntos como equipe e empresa. 
  • O time de people organiza cafés informais com todos os integrantes do time de tempos em tempos. Interação é chave em uma equipe. E a melhor maneira de interagir é conhecendo um ao outro e compartilhando experiências.
  • Cafés “Donut” aleatórios. Existe uma tendência humana de falarmos mais com as pessoas que estão mais próximas de nós, que trabalham conosco diariamente, ou que estão de certa forma alinhadas com nossos hobbies e interesses. Os cafés Donut são espaços semanais para você ter conversas aleatórias com pessoas diferentes e descobrir coisas em comum que nem imaginava que poderia ter com outros Belvoers. E o melhor de tudo é que você tem uma reunião agradável sem assuntos relacionados a trabalho na pauta. 
  • Nós também temos reuniões one-on-one mais formais a cada mês ou a cada semestre que levam à avaliação de desempenho anual. Nesses encontros formais, cada Belvoer analisa junto a seu responsável qual foi seu impacto durante o ano e como pode progredir na carreira e em termos de responsabilidade. E como somos uma startup, e as coisas andam rápido, nossas carreiras também andam rápido.
  • Na Belvo, nós damos a responsabilidade que cada um precisa, ou quer. Durante essas reuniões, os Belvoers respondem a um conjunto de perguntas pré-determinadas que os ajudam a entender o impacto que têm na Belvo, dando espaço para que compartilhem seus pensamentos. É também um momento para dar e receber feedback, a fim de tornar o time mais eficiente e alinhar expectativas. 

Estes são alguns dos principais highlights que nos ajudam a estarmos alinhados, construir e escalar, tanto a nível pessoal quanto empresarial. Dito isso, nós estamos continuamente testando coisas novas, uma vez que façam sentido para o time e para a estrutura.  Essas diretrizes nos ajudam a replicar a cultura que temos e a cultivar raízes sólidas que propiciem nosso crescimento sem perder o foco no que realmente importa. 

Quer fazer parte do time? Confira todas as vagas abertas aqui

Compartilhar

Mal podemos esperar para ouvir suas ideias!